4 maio, 2012Por Betty Girls

Quem segue o Bettys há algum tempo e tem boa memória vai se lembrar que eu prometi falar sobre esse livro nestepost (http://www.bettys.com.br/dicas/presentinhos-de-natal-ladies/) de dicas de presentes de Natal em dezembro passado.

Como promessa é dívida e a minha memória tarda, mas não falta, cá está o post prometido.

Li “O Segredo de Emma Corrigan” há uns bons anos – imagino que há uns cinco pelo menos – e desde então elegi a minha autora favorita de chick-lit. Sophie Kinsella me chamou a atenção antes disso, com “Os delírios de consumo de Becky Bloom”, que como boa amante de moda, amei e li a série toda, mas Emma é de longe a minha personagem preferida. Bem a receitinha da heroína de chick-lit, sabem? Mulher solteira, por volta de seus 30 anos, insatisfeita com o trabalho, com a balança, com a conta bancária, com o guarda-roupa, com o namorado, com a família, etc…

Impossível uma mulher moderna nessa faixa etária não se identificar com uma dessas insatisfações!!! rsrsrsrs…

Mas o fato é que mesmo seguindo a receitinha manjada, Emma tem luz própria.

Trabalhando na área de marketing de uma empresa londrina, ela é enviada em sua primeira viagem de negócios, para assinar um contrato praticamente fechado, mas na hora H tudo dá errado.

Frustrada com os acontecimentos e vendo sua promoção a Executiva de Marketing indo por água abaixo, ela resolve tomar uns drinks antes de embarcar no voo de volta. E aí é que realmente começa o ponto alto do livro.

No avião, sentada ao lado de um gato, o voo passa por turbulências e, achando que vai morrer, a nossa personagem tem uma diarreia verbal e fala pelos cotovelos. Revela ao desconhecido os seus segredos mais íntimos, abordando desde sua relação com o namorado, passando por seu peso real, pelo fato de ela “regar” a planta da colega chata de trabalho com suco de laranja diariamente, chegando à sua insatisfação com o trabalho e a empresa.

Só que o avião não cai, Emma não morre e chega mais do que frustrada para trabalhar no dia seguinte. Eis que ela é informada sobre a visita do fundador e presidente da empresa, Jack Harper, que é ninguém menos que o cara gato que ouviu todos os seus segredos no voo da véspera.

E aí, minha gente, só lendo para acreditar nas situações tragicômicas que esse enredo nos revela. Emma é carismática e cativante, Jack ainda mais e o ambiente corporativo como pano de fundo nessa história faz toda a diferença.

Acho que está na hora de eu reler esse livro…

Quem já leu discorda da minha opinião?

Quem não leu e se interessou, corre tirar o atraso e volta aqui pra me contar, ok?

Imagem: Reprodução

Postado por: Michelle Mariotto

0