Score
15 julho, 2015Por Sophia Alckmin

Em Lisboa alugamos um carro para viajar por Portugal, viajamos pela região do Alentejo. Nosso primeiro destino era Torre de Palma, no caminho paramos em Évora, uma cidade medieval linda, cercada por muralhas do século XIV. Ela é considerada uma cidade museu.

IMG_3158 IMG_9686 evora05 IMG_3160 IMG_3159

Restaurante Fialho – super tradicional. A comida é ótima, tem que ir.

Restaurante-Fialho-em-Evora-esta-entre-os-favoritos-dos-brasileiros-no-AletejoFoto-Bruno-Agostini Restaurantes_Fialho evora

O Templo Romano – um dos símbolos da presença romana em território português. Estima-se que tenha sido construído no século I d.C.

A Capela dos Ossos – fica na Igreja de São Francisco. Era um espaço de oração e meditação sobre a efêmera condição humana, construída por padres franciscanos no final do século XVI, com os ossos que estavam nos túmulos das igrejas e cemitérios da cidade. Sobre a porta de entrada está a célebre inscrição, destinada pelos frades à meditação dos visitantes para servir como uma lembrete da brevidade da vida e da certeza da morte:

“NÓS OSSOS QUE AQUI ESTAMOS, PELOS VOSSOS ESPERAMOS”.

evora02 evora03 evora04

 

17

21 agosto, 2013Por Betina Siegmann

Screen Shot 2013-08-20 at 19.18.32

“Se tivesse que levar um gringo por um tour por São Paulo, onde o levaria?”

Começaria o dia no Madureira Sucos com um pão de queijo, um sanduba de queijo minas e um suco misturado com água de coco.

Depois um rolê pelo Ibira que é lindo (e dependendo do que estivesse em cartaz no MAM ou na Oca, daríamos uma passadinha lá).

Levaria na Pinacoteca que é um lugar lindo que amo.

Se o gringo for mais tradicional, eu almoçaria no Figueira Rubayat (é uma dica clichê e eu não freqüento o restaurante, mas impressiona os gringos com aquela árvore maravilhosa e com um conjunto legal de comida, serviço, drinks e tal). Ou se for alguém mais descolado, almoçaria no Maní. O Dalva e Dito também poderia ser uma boa pedida.

De tarde eu passearia pela Oscar Freire e pelo Iguatemi, se shopping estiver nos planos, ou daria uma volta pelas galerias de arte mais bacanas como Vermelho e Zipper.

Terminaria o dia com um drink no Mercearia São Roque, por ser um programa bem paulista, e jantaria ou no Ohka ou Nagayama Café (se japa for a ideia), ou no Spot (badalo “colorido” e super astral), ou no Alucci (se for um esquenta!), ou no Gero (se for mais tradicional).

14

16 julho, 2013Por Betina Siegmann

Screen Shot 2013-07-15 at 11.40.38

Restaurantes:

Olsen: fui e amei! Restaurante nórdico, super bacana – legal tanto para um brunch como para o jantar. Gente bonita, entradinhas ótimas (pratos nada demais) e um conjunto ótimo. End: Gorriti, 5870 – Palermo Hollywood

La Cabrera: o “point” para comer carne em Palermo Soho. Curti pelo conjunto também – lugar, couvert, comida, etc… Não foi a melhor carne da minha vida (nem de longe), mas curti o programa… Ideal para almoçar! End: José Antonio Cabrera, 5099 – Palermo Viejo

Osaka: restaurante “fusion” japa e peruano – é bem badalado e abriu recentemente em São Paulo; End: Soler, 5608 – Palermo (tem um no Puerto Madero)

Bar 6: esse é das antigas e já fui mais de uma vez. Acho bom para um almoço despretensioso ou só para um pit stop para uma panqueca de dulce de leche e para dar um relax (fora de hora)

La Salamandra: É um dulce de leche e Muzzarela Bar (vi essa dica no Buenos Aires para chicas) – ótima pedida para um sanduba, uma saladinha ou um café da manhã e sem duvida uma parada obrigatória para pedir uma “porción de dulce de leche” alucinante

Cluny: esse é das antigas também e é ali no meio do fervo de Palermo Soho (El Salvador) – boa pedida para um almoço. Comida nada demais, couvert ótimo e conjunto bom!

Mott: Mais uma opção no meio do fervo de Palermo Soho (El Salvador), também para um almocinho despretensioso!

– Outra boa pedida para uma comida “fora de hora” ou uma refeição rápida é o Mark’s – também no meio do fervo de Palermo Soho (El Salvador)

Gran Bar Danzón: fui há muito tempo e amei. Do mesmo dono do Sucre – uma bar especializado em vinho que também é um restaurante.

Sucre: um clássico de Buenos – toda brasileirada já foi lá menos uma vez! Nós também, não acho nada demais – mas é uma dica frequente. End: Sucre, 676

Casa Cruz: fui há muito tempo e curtimos muito. Mas esse é um restaurante que já escutei de tudo e não voltei dessas ultimas duas vezes. End: Uriarte, 1658 – Palermo Viejo

Cabaña Las Lilas: mais um clássico de Buenos – toda brasileirada já foi lá menos uma vez para comer carne! Nós também, não acho nada demais já que (pelo menos para os paulistas) é parecidérrimo com o Figueira Rubayat  – mas é uma dica frequente. End: Alicia Moreau de Justo, 516 – Puerto Madero

Passeios:

MALBA (imperdível para quem curte arte), Bosques de Palermo e Jardim Japonês, Palermo Soho

* Mais dicas: descobri um blog muito legal chamado “Buenos Aires para chicas” – dicas mil! Amei

* Mais dicas: descobri um blog muito legal chamado Inspirits, que dá dicas de onde beber e comer por lá

* Sempre confiro as dicas de restaurantes e bares no Guía Oleo – espécie de “Zagat” Portenho. É só acessar o site e procurar

20

1 julho, 2013Por Betina Siegmann

Screen Shot 2013-07-01 at 18.50.32

Paris é incrível… a cidade é linda, para todos os lados que vc olha tem alguma coisa linda, antiga, histórica… as pessoas são super estilosas… se come super bem… as lojas são maravilhosas… pra quem curte arte, não faltam opções

Minhas dicas!

Onde ficar: eu curto me hospedar em Saint Germain, o bairro é incrível. Fiquei no Esprit de Saint Germain e curti muito (apesar do quarto pequeno). Já para os lados da Rue Saint Honoré e Place Vêndome, já fiquei no Crillon e curti (está fechado para reforma no momento) e ouvi que o Meliá Vendome tem um ótimo custo-benefício. Além disso tem os hotéis mais punks – Meurice, Mandarin, Bristol, Plaza Athenèe, etc…

Como ir: Tam ou Air France.

Restaurantes: Fiz um post aqui no Bettys com as minhas dicas de restaurante dessa ultima ida.

Além desses, vale mencionar: L’Avenue + Cafe Marly + Market + Relais de l’entrecote + Casa Bini (especializado em Carpaccio) + Caviar Kaspia + L’Atelier du Joel Robouchon

Doces e guloseimas: Angelina + Ladurèe (Rue Bonaparte com Rue Jacob em Saint Germain é bem mais legal e tranquilo que a da Champs Elysèes ou da Rue Royale. Tem tmb a Pierre Hermé e o Fauchon! Sorvete na Berthillon e na Amorino!

Compras – lojas de departamentos: Bon Marché (bem menos turística e lotada que a Galleries Lafayette) + Galleries Lafayette + Printemps + Samaritaine

Compras – grifes: Avenue Montaigne + Rue e Faubourg Saint Honoré + Saint Germain (Rue de Grenele e afins)

Compras – fast fashion: tem na Rue Rivoli, tem no Boulevard Haussmann (pertinho da Galleries Lafayette)

Compras – livro bacana/de arte: A Taschen tem uma loja própria em Paris, no coração de Saint Germain (Rue du Buci)

Compras – perfumes e velas: Annick Goutal, Fragonard, L´Artisan, Dyptique

Compras – gourmet: Place de la Madeleine  (Maille, Fauchon, Hediard, Maison de la truffe, Caviar Kaspia, Prunier, Mariage Fréres)

Museus: Fiz um post aqui no Bettys sobre os museus de Paris

* dica: vale a pena ir na FNAC e comprar os ingressos para os museus lá, assim a fila na entrada do Museu é beeeeem menor.

Passeios:

– vale muito a pena ir conhecer o Jardin du Luxembourg – é no meio de Saint Germain, é lindo e é um bom pit stop para dar uma sentada, curtir o visual e descansar os pés. Ah, e ali tem uma filial do Maison Angelina, maravilhoso para um café, doce ou lanchinho.

– mesmo se não for no Louvre, acho que vale dar uma caminhadinha ali pelos Jardin des Tuilleries que é lindo!!!

– ir conhecer os Marais: o bairro é muito bacana, é uma mistura que funciona entre gays, judeus ortodoxos e descolados! Tem uma rua chamada  Saint Croix de la Bretonnerie que tem várias lojas com coisas legais pra casa. As principais ruas lá são Vieille du temple + Francs Bourgeois + Rue des Rosiers. A place des Vosges fica bem pertinho e vale conhecer!

– vale muito a pena explorar bem o bairro de Saint Germain, de ambos os lados do Boulevard Saint Germain (de um lado Rue du Buci, Rue Jacob, Praça Furstemberg, comer na Ladurée…) e do outro lado onde tem as lojas e o Bon Marché (Rue du Grenele, Rue Rennes, etc)

– passear pelo Quartier Latin, Sorbonne, etc

– vale muito dar um bom passeio pela Avenue Montaigne, Avenue George V, Rue Marbeuf, Rue François 1er, Rue Marignan) e pela Champs-Elysèes (a avenida é linda, mas é tão turística/lotada que dá meio bode)

– Passear pelo Palais Royal

– Se quiser fazer um programa totalmente parisiense, sugiro ir de noite na Rue Montorgueil(2º Arrondissement: Châtelet-Les Halles) que é cheia de bares e restaurantes e é uma região bacana e bem fora do circuito das dicas habituais! Quem nos levou lá foi o Issa, amigo queridíssimo, que está morando em Paris ali pertinho! Nós comemos no Le Marie Stuart, que é uma graça!

– Passear pelas ilhas de la cité e saint louis, passando pela frente da Conciergerie + Notre Dame e passeando pela charmosa Ile da Saint Louis

– Caminhar caminhar caminhar

– Nunca fui conhecer o Bois de Bologne (jardim de Bagattele), nem o canal de saint martin nem o 16eme (rue du Passy) e tenho vontade

Fontes para dicas: Guia “Paris para Amar Paris” + Site Paris RD/RG + Conexão Paris

 

19