6 maio, 2013Por Betina Siegmann

Vou para Punta desde criança (hábito comum entre os gaúchos, como eu) e amo! Apesar de muita gente ter aquele “pré-conceito” de que Punta é só glamour, cassino e tal – a verdade é que Punta tem programa para todos os gostos e idades e no meu caso é um lugar de se ir com a minha família e mesclar praia, esporte, restaurantes, amigos e baladas.

Então começo as dicas com informações essenciais sobre Punta!

- Como chegar em Punta? você pode pegar vôo para Montevidéu (120km de Punta) ou Punta

A Tam e a Gol voam para lá. Aerolíneas Argentinas também é uma opção.

até existem vôos diretos para Punta – mas normalmente são vinculados a pacotes ou ao fretamento do Hotel Conrad.

Do aeroporto de Montevidéu para Punta rola ir de carro (alugado), de táxi ou de ônibus (mega tranqüilo e confortável e te larga na rodoviária de Punta)

- Quando ir? Punta é legal mesmo no verão, especialmente se for a primeira ida para conhecer. A temporada inicia de verdade lá pelo dia 26 de dezembro e vai até o carnaval. A semana mais badalada é a do Reveillón quando Punta lota! A brasileirada é maioria no reveillon em Punta com predomínio de gaúchos e paulistas! Se você quiser fugir dos brasileiros, sugiro ir em janeiro depois do reveillon.

- Clima: Punta mesmo no verão pode surpreender com um vento bem gelado quando o sol se põe. Então a mala de Punta acaba tendo de short a cashmere, de havaiana a bota, vale sempre levar um casaquinho para o pós praia, uma jaqueta de couro é perfeita…

- Onde ficar? Punta é bem “espalhada” – tu podes te hospedar na Península (parte mais antiga e tradicional de Punta), nos Bosques, na Barra, em Montoya, na Praia Brava, na Praia Mansa, em José Ignácio…

Eu sempre fico na Península – é o lugar que eu mais gosto porque sempre vou no esquema “família”: lá tem edifícios de apartamentos super legais, tem as lojas, padarias, confeitarias, sorveteria, alguns restaurantes, tem o iate clube, o calçadão (rambla) onde se faz esporte (corre/caminhar/andar de bike)… Tem gente de todas as idades, famílias, jovens, criançãs, etc. é onde os gaúchos costumam se hospedar; é onde eu fico desde criança! Dá para fazer um monte de coisa a pé! é a Punta “old school”

Na Barra é tudo mais charmoso e descolado, é inclusive mais perto das praias da moda. é o point dos argentinos e dos jovens. Gosto de ir na Barra para jantar ou curtir um fim de tarde pós praia – nunca me hospedei lá. Deve ser bacana principalmente para uma turma só de galera, jovens e afins

Nos Bosques é onde ficam as casas, é para quem curte um esquema mais família e caseiro. Ali pertinho também tem várias opções de apartamento nos arredores da Roosevelt (avenida importante de Punta) – mas tem que pegar o carro para ir para qualquer lugar.

Jose Ignacio é super longe de Punta (35 km – lembrando que tem trânsito na Barra) – tem gente que curte se hospedar por lá. Tem opções legais de casa para alugar, hotéis charmosos, muitos dos restaurantes mais “hype” são por lá… Mas é uma proposta diferente do que ficar em Punta ou na Barra. Acho que Jose Ignacio é um esquema pra quem quer ficar numa casa fantástica ou num puta hotel como o Vik e fazer a vida meio por lá, sabe? é bem mais rústico, sei lá… Acho que uma coisa é ficar em Jose Ignacio e outra é ficar em Punta. Eu, por exemplo, tenho zero vontade de ficar lá – mas acho que ir para José Ignacio é obrigatório, ir nos restaurantes, ir no La Huella, etc! Acho que só rola se hospedar em Jose Ignacio se tu já conheces bem Punta e arredores e sabe exatamente qual é a de Jose Inacio pra não ter surpresas!

*** IMPORTANTE: acho roubada alugar casa em Punta porque são muito freqüentes os assaltos a casas (infelizmente). Nunca ouvi nenhum relato de violência, mas sei de muitos (muitos mesmos) casos de assaltos a casas durante a temporada ***

- Hotéis: Punta tem todos os tipos de hotéis, os mais conhecidos são o Conrad, Mantra (fica na Barra), Serena (na Mansa, meio fora de mão – mas charmoso e com uma piscina ótima), AWA (hotel butique nos Bosques), L’Auberge (mega tradicional), Playa Vik (Jose Ignacio), Fasano Las Piedras (é no meio do nada numa proposta bem chique e rústica, se essa for a proposta – se joga!), Las Olas (flat na Barra) e depois os menores e tradicionais na Península: Acqua, Remanso, Castilla, London, Best Western, etc…

- Imobiliária em Punta: o que não falta em Punta é Imobiliária. Minha family tem alugado nos últimos anos na Todo Punta com o Rodrigo.

- Programas clássicos (nem todos eu gosto, mas que são clássicos, isso eles são): corrida ou caminhada pelo “calçadão” a beira mar; comer “medialunas calentitas”, ida a Jose Ignacio e comer no La Huella, comer alguma coisa – doce ou salgada – na Boutique do La Bourgogne (é caro e só aceita cash nessa boulangerie), comer waffle no L’Auberge num dia mais feio ou frio, tomar um sorvete na Freddo, no Arlecchino (eu não gosto, mas tem filas quilométricas) ou na Volta (sensacional), comer “o” churros no Manolo, passear pela Barra à noitinha, ir no Conrad conhecer o cassino (eu odeio cassino, mas não podia deixar de dar essa dica), pegar praia em Bikini e tomar alguma coisa no Cactus, ir na Casa Pueblo no pôr do sol, happy hour ou almoço no Serena com pôr do sol (maravilhoso)… A praia rola mais tarde e só enche lá pelas 3 da tarde ou mais tarde. Escurece tarde também. Sempre levar uma malha ou casaquinho para a praia porque costuma dar uma esfriada quando o sol se põe!

- Praias: Bikini (para a galera jovem), Jose Ignacio e de preferência fazer uma reserva para almoçar ou jantar no La Huella, Parador La Caracola (fiz um post sobre ele) em Jose Ignacio, Playa Brava Parada 30 (freqüentado por argentinos e gauchos, não é hype, mas é bacana), Playa Mansa Parada 5 (reduto da gauchada)

- Restaurantes e afins: Punta é um lugar de temporada, então tem lugares que abrem e que fecham a cada novo verão. Após a minha temporada em 2013, fiz um post com um guiazinho dos restaurantes de Punta.

Os que eu mais gosto são: Al Mare (Hotel Serena) e La Huella (em Jose Ignacio) – ambos são legais para almoço e para jantar. Outras alternativas: Café Flô e Baby Gouda (@Barra); Mistura e La Linda (@Manantiales); Namm + Marismo + Almacén El Placer (do mesmo dono do La Bourgogne) + Sarava (@Jose Ignacio); Bosques: La Bourgogne (francês clássico, bem caro!), Floreal (tradicional, comida maravilhosa – super old schoool), L´Incanto (italiano que eu adoro pelo conjunto) e La Table de Jean Paul (do mesmo dono do La Bourgogne); El Palenque e Boca Chica Asados (Parrilla); Península: Boca Chica, Guappa e Virazón – a comida não é nada demais, mas são alternativas por ali.

- Precisa alugar carro ou estar de carro em Punta? SIM – tudo é longe e não rola ficar dependendo de táxi. Eu costumo alugar da Avis, da Thrift, Puntacar ou da Hertz e já pego no proprio aeroporto em Montevideo. Na época do reveillón, elas costumam exigir um número mínimo de diárias. Uma locadora local em Punta é a Mariño, onde aluguei da ultima vez e adorei. Carros bem mais novinhos que os da Avis e Hertz.

No meu blog – tem a ver comigo – criei categoria chamada Punta para facilitar o acesso às informações de lá.

Saludos!

Screen Shot 2013-05-06 at 13.02.25

Screen Shot 2013-05-06 at 13.03.22

Screen Shot 2013-05-06 at 13.03.44

Screen Shot 2013-05-06 at 13.03.59

Screen Shot 2013-05-06 at 13.04.09

Screen Shot 2013-05-06 at 13.04.20

Screen Shot 2013-05-06 at 13.04.30

Screen Shot 2013-05-06 at 13.04.41

Tem a ver comigo

20

27 janeiro, 2012Por Sophia Alckmin

Mal cheguei em casa e já viajei novamente. Vim passar um final de semana prolongado em Punta Del Este na casa de amigos. Como eu já estava cansada de fazer, desfazer e refazer malas só peguei roupas práticas. Trouxe este vestido de crochê que de manhã usei com biquini e depois quando saímos para almoçar no La Huella (amo!!!) coloquei um forro branco por baixo.

Vestido – Giovana Crochet

Colar – comprei numa feirinha

Óculos – Bottega Veneta

Bolsa – Chanel

Sandália – Chanel

Vou tentar subir um post com dicas de Punta para vocês amanhã, ok?!

Fotos: Bettys

 

0